Buscar
  • Sárila Aline Ferronatto

Saudades de mim

Será que a vida não é muito mais do que isso que você está vivendo?


Você está vivendo a sua vida normalmente, levantando de manhã, escovando os dentes, vestindo-se, indo trabalhar, cuidando de seus afazeres, e tudo segue absolutamente dentro do script. Mas quem escreveu esse script? Quem determinou a maneira como você vive a sua vida?

Você já se fez essa pergunta? A famosa “who is in charge?” (quem está no comando?)

E, em um dia absolutamente normal, uma pulguinha surge atrás da sua orelha: “Ei, psiu, será que a vida não é muito mais do que isso que você está vivendo?”

Será?

Essa pergunta ecoa na sua cabeça e acaba com a sua paz.

Você começa a analisar a sua rotina e descobre que apertou o piloto automático. Que todos os dias faz as mesmas coisas, nos mesmos horários, esperando que chegue o final de semana para você poder finalmente aproveitar a sua vida, quando o que realmente acontece é você ficar jogado(a) no sofá “descansando” e se sentindo um velho(a), porque está muito cansado(a) para curtir.

E a pergunta continua ecoando na sua cabeça e você fica cada vez mais perplexo(a) com a maneira como está vivendo, mas não tem ideia do que fazer para mudar. Você sabe que precisa mudar, que precisa fazer alguma coisa, mas o que?

Agora já são duas perguntas ecoando nos seus pensamentos e você já acredita que está ficando doido(a)! Além disso, sente um enorme vazio no peito e um sentimento de não pertencimento, pois já não se sente confortável com a sua rotina.

Você começa então a refletir e descobre que passou a vida inteira tentando corresponder ao que os outros esperam de você, desde criança. Você já não sabe mais quem realmente é, do que gosta, que caminho deve seguir ou não. Você está cansado(a), perdido(a) e sem saber se casa ou se compra uma bicicleta.

Se você se identificou com o descritivo acima, ou mesmo parte dele, saiba que há uma explicação bem coerente para o que está acontecendo contigo. Você está sofrendo um desvio energético. Há pouca energia original dentro do seu corpo. Pouca ou nenhuma. Há muita energia dos outros: dos seus pais, marido, mulher, filhos, amigos, quem sabe até do seu chefe, mas a sua energia, nadinha! E, convenhamos, isso não pode dar certo!

A pessoa que não mora dentro de si mesmo tem uma tendência muito forte a buscar qualquer coisa no externo: nos outros, em bem materiais, em lugares. Não gosta de ficar sozinha, está o tempo todo fazendo algo, não consegue parar, pois tudo que envolve parar para pensar em sua vida é bastante doloroso e gera ansiedade, depressão, tristeza, insônia, entre outros problemas.

E você se pergunta: aonde foi parar a minha energia?

A verdade é que ela está dentro de você, mas você a encobriu com camadas e camadas de barreiras e bloqueios, para que ela ficasse lá, bem no fundo, quietinha, sem se manifestar, pois o seu objetivo sempre foi atender às expectativas dos outros e não as suas próprias, lembra?

A sua essência, a sua verdade, a sua energia original, clamando para ser ouvida, para ser vista, para ser sentida, para ser vivida. E este é o maior objetivo da nossa vida: redescobrir a nossa essência e viver de acordo com o que verdadeiramente somos e não com o que esperam de nós.

E depois de descobrir tudo isso você então começa a se perguntar: como farei para viver a minha essência?

Mas este é o assunto do próximo post! Até já!


Eu vi os dias se arrastarem por um período sem fim. Eu me vi perguntando à vida o que ainda guardava pra mim.

(Ana Vilela - Entrelinhas)

0 visualização
  • b-facebook
  • Instagram Black Round

© 2020 por Individualmente - Todos os direitos reservados.